sábado, 12 de dezembro de 2009

Recipiente.



Meu coração é selvagem
Eu só consigo transbordar
É o que de fato me dá alma
Motivo algum pra caminhar.

Me sinto salva pela harmonia
Pelo equilibrio de ser
Das várias faces de ser lua
Quero todas:

O remédio e o veneno
Algo que rebole por dentro
E traga ordem pro caos
Que vive dentro de mim…












Amor que toma forma do recipiente, que toma dor e dorme, que evapora e fim.





Lorena A.

Um comentário:

A vida é feita de escolhas disse...

um recipiente que faz conhecedor, nos atos, nas intrelinhas, na delicadeza, AMOR guerreiro de todas as épocas

scraps.


Trimera Casa de Letras.

Blogueiros do Piauí.