segunda-feira, 23 de março de 2009

toque de Midas.

Não é por ser assim que o mundo tem que parar. Não é por doer em mim que alguém tem que chorar. Não é por um céu azul brilhar que minha doce história assim, tem que acabar. Mais do que felicidade plena o que busco é o inaudível som. A claridade cor que me aperta, que me enxerga, que faz qualquer momento perdurar. Por entre molduras hi-tech e retrôs. Por entres laços, desacatos. Por entre sonhos de vanguarda, pulmões arrancados, dedos cortados espalhados pelo mundo...

Pedaços de mim. O que chamo de tempo é tempestade. É chuva de amor no fim.




Lorena A.

2 comentários:

Lari disse...

Olá... adorei seu blog e sua poesia! ;]

Beijinhos =*

arteimitavida disse...

E aí maluca!!!
Tá na Noruega ou em Veneza?
Bjoks

scraps.


Trimera Casa de Letras.

Blogueiros do Piauí.