domingo, 9 de dezembro de 2007

acaso.




feito o céu a alegria percorre

as veias que por dentro correm

em um sangue limpo e sem impurezas

dentro de uma vida

dentro de uma veia

que não tem tempo

tempo que a vida espreita.



agi assim por minha culpa

me perdi na tua nuvem

no teu mar de desagrado

um eterno e sempre

fracasso.



insisto em cair nos teus braços.

sem medo do percalço

andando por ai sem laço

voando

flutuando

deixando

por conta do acaso.





Lorena A.





Creative Commons License


Esta obra está licenciada sob uma
Licença Creative Commons.

Um comentário:

carol disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

scraps.


Trimera Casa de Letras.

Blogueiros do Piauí.