sábado, 20 de outubro de 2007

saudade.

sempre me fiz parte dela.
ela sempre esteve lá...
solícita, aberta.
mas não como agora.
mas não como hoje.
mas não como eu me importo agora.
[e quem se importa comigo?]

o infinito é absurdo,
é profundo e imenso.
mergulho e sinto a falta,
sinto que ela é mais que presente.
é minha companheira.

sinto saudades
sinto vontades
sinto ardor.

queria ser mutante
porque andante,
eu já sou.

vem e afaga meus cabelos,
me diz o teu enredo,
e cala essa minha solidão.


Lorena A.



Creative Commons License


Esta obra está licenciada sob uma
Licença Creative Commons.

Um comentário:

Morrer [de Rir] ... disse...

buááá!!! amei!!!!

=****

scraps.


Trimera Casa de Letras.

Blogueiros do Piauí.